domingo, 25 de janeiro de 2015

Adeus, esteira anti-tetânica

Pra honrar a expressão "ano novo, vida nova", mudei! 

Tive que dar adeus à esteira anti-tetânica do prédio em que morava. Sério mesmo, ela provocava o sistema imunológico de tanta ferrugem que tinha. E além disso, forçava mais a corrida já que estava sempre na posição inclinada. Quer moleza? Vai comer gelatina diet!

Onde moro agora tem academia de verdade. O elenco de desculpas dA Gorda diminuiu.

A mais recente que ela me deu foi que estou fazendo exercício desmontando caixas. Argumento válido até amanhã, Gorda.

sábado, 17 de janeiro de 2015

2 anos de Odisséia

Ontem estava vendo umas fotos e dei de cara com a que está no meu perfil no IG. Nela eu estava no ápice do meu peso: 112kg.

Uma coisa é saber, outra é perceber. Eu sabia que o número que aparecia na balança trazia de brinde a obesidade mórbida, mas eu não me percebia assim. Achava exagero das minhas irmãs quando vinham me aconselhar a emagrecer um pouco, até ficava com raiva. Eu sabia que estava acima do peso, via fotos e sabia que estava gordinha afinal sempre fui "maiorzinha" que todo mundo, mas a minha auto-imagem não me deixava ver o quadro real.

Quando cheguei no peso objetivo, que aliás demorou a virar meu objetivo já que nunca achei que fosse factível, mesmo colocando uma foto do lado da outra não via tanta diferença assim. Doido isso. Ao mesmo tempo muita gente, incluindo minhas irmãs que são muitas, diziam que estava magra demais. Mais uma vez achava que era exagero.

Agora que A Gorda ficou fazendo malabarismo na minha frente e me distraiu, vejo que já estive melhor. Vejo a foto dos 112kg e finalmente consigo ver, saber e perceber. Vejo a foto do 67kg e já sei que não preciso voltar a eles. Não me identifiquei. 

Vou seguir com foco para retomar a minha vida saudável e agora não posso me distrair dando uma beliscadinha em algo que A Gorda gosta. Reeducação não é mágica, é um processo. Estou aprendendo, e agora A Gorda precisa ficar um pouco no cantinho da disciplina.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Volte 10 casas.

Decidiu tomar juízo e manteve o foco de maneira continua por 14 meses: ande 45 casas. Focou demais no restante e deixou pratos importantes caírem: volte 10 casas.

Tomei coragem de subir na balança que não estava funcionando direito e procrastinava "consertá-la" quando na verdade tinha certeza que eram só as pilhas invertidas. A Gorda me deu 10kg de presente.

Estou tratando de fazer um pacote bem bonito para mandar para o limbo de novo. Como minha nutricionista disse, essa batalha não vai acabar nunca. Se a quantidade de pessoas que ganha peso de volta depois da bariátrica é enorme, imagina quem não fez?

A partir de hoje, por mim, vou postar a cada vez que 1kg for despachado. Quer aproveitar e vir no embalo?

domingo, 4 de janeiro de 2015

É o que é.

Complicado esse negócio de auto-imagem. Como engana!

Quando eu estava com 112kg, não via que tinha aquele tamanho todo. Quando atingi os 67kg, também não via o quão magra estava.

Não me pergunte agora com quanto estou porque não quero saber e não tenho raiva de ninguém porque ninguém sabe. E nem eu nem ninguém vai saber até que as roupas dêem uma folguinha. Sinceramente não estou a fim de me torturar já que as fotos de hoje em comparação aos 67kg já dão a mensagem de maneira clara.

Fim de semana comportado e amanhã retomo a atividade física, afinal é a primeira segunda-feira do ano. A diferença é que eu já sei que sim, é possível e desistir é para os fracos. E tem outra diferença: quando eu sou fraca, é que sou forte! 


sábado, 3 de janeiro de 2015

E lá vamos nós de novo.

Como diz minha amiga Mayara, foi o boi com as corda e A Gorda junto. As rédeas escaparam no tumulto e lá se foi o controle da boca e da balança. Perdi a mão e quem dera tivesse sido só ela.

Os últimos meses foram intensos e assumo, sou fraca pra caramba perto dA Gorda em tempos assim.

Se dá vergonha escrever isso? Claro que dá, mas por que não escrever se está todo mundo vendo? E não é vergonha de ser gorda, mas sim que deixei de priorizar muitas outras coisas que são mais importantes para mim e que por isso me desequilibrei. Sou viciada em comida em recuperação.

Foi mal aí, hein... Mas ano novo sempre dá aquele impulso de mudar o que precisa ser mudado.  Alguém pode me dar um empurraozinho? Está fácil porque estou rolando mesmo... ;)

 

sábado, 20 de setembro de 2014

Glúten no glúteo

A receita para eu me manter com o peso saudável já aprendi: verduras, legumes, frutas, grãos, óleos e proteínas saudáveis. Também já acordei meu paladar e não existe mais nada que eu tenha que comer obrigada. Aliás, Maria, obrigada!

O Globo Repórter falou ontem da cozinha mediterrânea, e a minha nutricionista, a Maria, me mostrou o quanto ela é saborosa e suficiente. E olha que maravilha, aqui no Brasil temos uma infinidade de opções. A orientação durante a perda de peso foi cortar o açúcar, arroz, batata holandesa e tudo o que tem farinha de trigo, e dizer que não sobrou nada mais para comer não faz o menor sentido. 

Mas porque é que eu teimei em dar uma escapada e fui para a cozinha dA Gorda? Falta de tempo, de paciência e foco são inversamente proporcionais à quantidade de chocolate, bolo, pão...  Nessa brincadeira passei 5kg do meu peso ideal já com margem. O glúten, além de arredondar o glúteo e redondezas, faz eu reter muito líquido. Se eu tenho vergonha de escrever isso? Por que se está todo mundo vendo? Tá feliz, Gorda?

Meu marido que foi devidamente orientado pela Maria, me chamou para a realidade: de volta à fase 1 da dieta. E dá-lhe abacaxi, muito abacaxi para desinchar. 

Bem, já foi 1,5kg embora nessa semana. Para quem já tinha mandado 45kg para o limbo, 3,5kg é fichinha. A Gorda é um perigo!


sábado, 23 de agosto de 2014

Retomando o controle em 3, 2, 1.

A gente pode aprender pelo amor ou pela dor. Também escutei uma vez que da mesma forma que criança tem a dor de crescimento pelos estirões, a gente também sente dor quando precisa crescer. 

O couro aqui está doído, mas sei que nada está fora de controle afinal tenho um Pai que cuida e filho para crescer precisa aprender.

Lembra dA Gorda? Então. Fiquei tão tolerante com ela... Como se comer fosse resolver alguma coisa. Comfort food? Finger food? Fat Lady laughing!

Hoje tenho 3 festas de aniversário e amanhã um almoço especial. Deixo para retomar o controle na segunda-feira? De jeito nenhum. Minha margem já atravessou a fronteira. 

Gorda, chega. Agora vou resolver o que posso resolver e entregar o que preciso entregar.