domingo, 13 de abril de 2014

A Gorda tem bichinho de estimação

Já conheceu alguém que tem uma galinha de bicho de estimação? Eu já e em ocasiões diferentes. Meus sobrinhos mais velhos tiveram uma que começou como um pintinho trocado por garrafa vazia que vingou, e a outra pessoa é A Gorda.

Tem que ver o carinho que A Gorda tem cuidando do bichinho. Basta a situação apertar um pouco que ela já diz:

 - Tofraca, comer ajuda! 

E como a Tofraca é bem adestrada, obedece rapidinho. E depois de uma temporada bem comportada:

- Tofraca, como houve bom comportamento, um prêmio é merecido!

A base da alimentação da Tofraca não é milho e sim a jaca, então toda hora é hora.

- Tofraca, hoje também pode!

A suA Gorda também tem uma Tofraca?


sábado, 5 de abril de 2014

Gordura é psicológica.

Preguiça. Safadeza. Falta de vergonha. Comodismo. Se duas pessoas estão comendo alguma coisa, um gordo e um magro, quem vai chamar a atenção é o gordo e pensam "tá vendo, por isso é gordo". E sempre tem aquele conselheiro cheio de amor dizendo "você deu uma engordadinha mais, não?"

Quando a gente tem sobrepeso, sabe que tem. Não precisa ninguém avisar. Brincadeirinhas e conselhos impensados doem de verdade. E levar rótulo de preguiçoso quando a gente faz tudo o que qualquer pessoa faz e se cansa mais porque tem um monte de quilos a mais carregados 24x7 não é justo.

Começar uma dieta não é "só" começar ou escutar alguém dizer que você precisa e concordar, tipo "ah, tá, sabe que é uma boa idéia eu enfrentar tudo do que eu me protejo sem a minha capa de gordura?". 

Se você emagreceu, parabéns, mas não esqueça que um dia esteve do outro lado da força. Se você nunca teve sobrepeso, lembre-se que a coisa é mais embaixo e, por favor, respeite o tempo de cada um. E se você está começando a batalha com seu Gordo Interior, o primeiro passo é reconhecer que ele existe, não é começar a dieta, e a boa notícia é que quando finalmente reconhecemos o quanto somos fracos, é que somos fortes pois podemos entregar esta fraqueza ao único que nos dá a força, segurança e proteção verdadeiras.

Gordura é sim psicológica.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Filé ou osso?

Vira e mexe aparecem discussões filosóficas sobre o que é melhor: filé ou osso?

Olha, tanto eu como a minha Gorda Interior estamos de acordo nessa questão: claro que filé! De frango, de carne, de peixe... Hummmm

O triste é que na verdade não se está falando de comida. É de mulher. A mulher "coisificada", que se pode escolher como se houvesse um mercado e ela estivesse na prateleira. E a prateleira está em todos os lados. Basta ver, por exemplo, fotos demonstrando o produto para o nicho de mercado que cada uma tem. Quem quer pode pegar! Ou não, pode ser só para um público diferenciado. Ou é só para ficar na vitrine mesmo.

Claro que fico muito mais feliz quando me vejo nas fotos hoje depois dos 45kg que foram para algum lugar do universo e que antes eu juntava tudo comigo. É legal comparar as fotos e ver como rejuvenesci, que a roupa cai melhor, e a disposição de hoje comparada ao cansaço crônico de antes. E principalmente mostrar que sim é possível para quem quer - isso inclui a mim ainda hoje. E tudo é vaidade, sejamos honestas. Tenho orgulho sim de ter conseguido e olhar para as fotos antigas também não me deixa esquecer o quanto sou fraca para não cair e me perder de novo.

Nunca fui nem filé, nem osso, nem bucho. E um dia desses conversando com o meu marido que acompanhou todas as minhas batalhas com A Gorda desde quando nos conhecemos, perguntei como era ter a esposa com um  corpo novo. A resposta dele foi "claro que é diferente, mas ainda é você". Amo esse homem! E ele me ama. 





domingo, 30 de março de 2014

Gorda contrariada

A vida inteira tive sobrepeso e A Gorda é minha companheira fiel desde que nasci - com mais de 5kg. Difícil separar o que era eu e o que era ela.

Quando comecei a odisséia depois de infinitas tentativas de emagrecer mas sem saber bem o porquê, encontrei a María. Mais que nutricionista, tínhamos praticamente sessões de terapia!

Cada consulta era um confronto. E o confronto não era comigo, era com A Gorda. Era dolorido ver alguém contrariando uma amiga, mas era para o nosso bem.

Com ela aprendi que o contrário de gordo não é magro. É saudável. Nessa hora achei o meu porquê para continuar contrariando A Gorda. Entrar numa calça jeans menor era um motivo muito raso e qualquer comfortfood me fazia mudar de idéia fácil, fácil. E mudanças exigem confronto, não conforto.

quinta-feira, 27 de março de 2014

A poupança dA Gorda é pequena

Calma, calma, não é o que você está pensando. Economia também se aplica À Gorda. Quer ver?

Lei da escassez: os recursos são escassos e as necessidades são ilimitadas. O corpo que você tem é um só, mas A Gorda quer te convencer que tudo o que você tem é fome, muita fome.

Poupança: deixar de consumir agora para ter um benefício no futuro. É a dieta, gente!

Para emagrecer, não tem segredo. É preciso diminuir a quantidade de calorias que você consome. Preciso falar dos benefícios?

A Gorda tem a poupança pequena. Se você não aumentá-la, a sua é que aumenta.

terça-feira, 18 de março de 2014

O que não fiz.

Já fiz de um tudo nessa vida para emagrecer, e só com 35 anos consegui ter um índice de gordura saudável. 

O que eu fiz de diferente? Mais fácil dizer o que não fiz dessa vez:

- não tomei inibidor de apetite ou emagrecedor, nem natural nem sintético;

- não substituí comida nas refeições por outras soluções sistematicamente;

- não fiquei mais de 1 semana sem fazer exercício;

- não deixei de comer;

- não reduzi o volume das refeições;

- não comprei somente industrializados light/diet nem congelados;

- não fugi mais da balança;

- não deixei mais de me olhar no espelho;

- não acreditei que já sabia tudo o que deveria fazer para emagrecer para aplicar sozinha;

- não preparei a comidinha de sempre;

- não fiz regra de compensação ou achei que merecesse algo para me dar comida de prêmio;

- não me conformei em diminuir de peso até que estivesse saudável, ainda que já aparentasse estar bem e tivesse "ossos grandes";

- não era mais um regime para eu ficar menos gorda porque achava que ser magra seria impossível para mim (e continuo achando, mas já sei que posso estar magra).

Tem uma coisa que A Gorda está tentando me convencer, de que agora que cheguei no meu peso posso comer "só de vez em quando" como eu comia antes. Sai pra lá, Gorda. A gente estava se dando bem até agora... Não estraga a confiança senão você volta para o cantinho da disciplina.


quarta-feira, 12 de março de 2014

Barriguinha cheia

Um dos grandes erros que cometi em outras vezes que tentei emagrecer foi parar de comer. Ficava sem os nutrientes necessários e com a imunidade diminuída, ficava doente, daí tinha que voltar a comer, descontrolava A Gorda outra vez e lá ia todo o esforço para o espaço.

Quando me perguntam se fechei a boca para emagrecer, respondo que na verdade tenho comido mais do que antes. Como mais e como diferente.

Reeducação alimentar implica em deixar os velhos hábitos adquiridos por toda uma vida e literalmente reaprender a algo que é ligado a uma necessidade tão básica como respirar. Fácil não...

Além de ser reeducada, preciso controlar o vício. Ops, A Gorda. Olha o que tenho feito.

- Ninguém vive só de salada, mas o negócio é comer muuuuita salada para ter mais sensação de saciedade e conseguir ser mais forte quando a "jaca" estiver na frente. Não vale crouton, queijo ralado ou 2 voltas de azeite. E também legumes, muitos legumes ao vapor, cozidos, assados, refogados... A história do prato colorido é importante porque além dos nutrientes variados, fica bonito demais! 

- Sopa de legumes e verduras. E não só no calor. Um dos primeiros posts do blog fala sobre isso. 

- Sempre comer frango, peixe ou carne nas refeições principais. 

- Ter sempre o lanchinho a mão para os intervalos - também tem um post lá atrás, dá uma olhada. 

- Nunca deixar de tomar o café da manhã. Suco verde é uma boa opção para acompanhar.

Um dos erros neste processo é trocar as comidas preferidas dA Gorda pela versão light ou diet. Onde está a reeducação neste caso se o que se quer é continuar comendo as mesmas coisas? Não quero dizer que não se deva, mas é preciso aprender a comer coisas diferentes também e desenvolver o paladar para o que não tem açúcar, gordura e sal. Garanto que uma hora aprende, mas tem que insistir. 

Mantenha sua barriguinha cheia e nas horas certas. Sentir fome é um passo antes dA Gorda dar as caras. Dá pra manter sob controle. Ou pelo menos tentar. Ou tentar não ser tentada. Fica a dica.